VINIL FLEXÍVEL STOP-INSECT CONTRA O VÍRUS ZIKA

2 de Fevereiro de 2016
 
Diante da rápida propagação do Virus ZIKA, a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou “emergência de saúde pública no mundo” e a EXTRUFLEX vem oferecer tiras Anti-Insetos e painéis contra insetos e mosquitos.
 
Como somos o único fornecedor com esta tecnologia, o produto EXTRUFLEX oferece repelência passiva através do vinil transparente na cor laranja e um aditivo de repulsão ativa através do agente “423 Biocida”, uma neurotoxina que elimina os mosquitos quando eles entram em contato com as tiras.
 
As bobinas STOP-INSECT não são tóxicas ao contato humano.
 
As propriedades inseticidas e não tóxicas a pele humana foram testadas em laboratórios com alta credibilidade na França e estão disponíveis quando requisitados.
 
Nós convidamos você a visitar nossa página Cristal Anti-Insetos dedicada a este produto, ou entre em contato com nosso departamento de vendas para maiores informações.
 
Acesso direto a documentos:

 

Doença do vírus Zika

  • A doença do vírus Zika é causada por um vírus transmitido pelos mosquitos Aedes.
  • As pessoas com a doença do vírus Zika têm, normalmente, febre alta, manchas na pele e conjuntivite. Estes sintomas duram, normalmente, entre 2 e 7 dias.
  • Atualmente, não existe qualquer tratamento específico nem vacina.
  • A melhor forma de prevenção é a proteção contra a picada do mosquito.
  • Sabe-se que o vírus circula em África, nas Américas, na Ásia e no Pacífico.

 

Transmitido por um mosquito já bem conhecido dos brasileiros, o Aedes aegypti, o vírus Zika começou a circular no Brasil em 2014, mas só teve os primeiros registros feitos pelo Ministério da Saúde em maio de 2015. O que se sabia sobre a doença, até o segundo semestre de 2015, era que sua evolução é benigna e que os sintomas são mais leves do que os da dengue e da febre chikungunya, também transmitidas pelo mesmo mosquito.

Porém, no dia 28 de novembro de 2015 o Ministério da Saúde confirmou que quando gestantes são infectadas por este vírus podem gerar crianças com microcefalia, uma malformação irreversível do cérebro, que pode vir associada a danos mentais, visuais e auditivos.

 
A chegada do vírus ao Brasil elevou o número de nascimentos de crianças com microcefalia de 147, no ano passado, para mais de duas mil crianças este ano. Por enquanto, na maioria destes casos, a relação com o Zika ainda está sendo investigada. Os casos de microcefalia relacionados a gestantes infectadas pelo vírus foram confirmados em 134 crianças que nasceram com a malformação. O Nordeste do país concentra o maior número de registros.